Yasmin 2008 do Balaco Braco

Pedigree

 

Olá,
Estava esperando um dia sem chuva em SP para escrever...Será que acertei?
Em primeiro lugar, parabéns pelos últimos (ainda que constantes) prêmios...
A Yasmim está, por sua vez, ótima e, não se conhecendo o que ela passou, seria difícil acreditar que ela teve problemas de saúde. Bem entendido, como ela não saber dosar os exercícios, eu sempre tenho a impressão que ela tem fôlego curto. Porém, não adianta...Ela só consegue engatar as marchas de disparada e parada quando anda. Quando a brincadeira envolve bolinhas e similares, nós conseguimos impor uma certa ordem...no mais... Uma coisa interessante é como ela brinca "sózinha"...Fica jogando o pato de pano ou o frisbee para cima e pegando ela mesmo (para não falar nas corridas atrás de pombos, esquilos, calangos, e o que vier...). Resumindo, continua feliz.
Camila está, respeitando a idade, muito bem. Ou, pelo menos, sobre controle - haja remédios e tempo para ministrá-los.
A propósito, sabendo que você não tem muitas fotos de bracos (aqui caberia um "rsrsrs"?), mando uma recente da Yasmim no seu(dela) lugar favorito.
Abraços, Edward
Fev/2011


fotos em fevereiro/2011

O começo da história da Yasmin é MUUUIIITTTOOO antigo... mas o fato é que após quase 7 anos de contato, Yasmin foi morar em Lagoa Santa - MG, com o Edward, a Ana e a Camila, a pointer inglesa deles...


Yasmin by Edward de Souza

Aceita devolução?
Você me vendeu um cachorro sem osso e com mania de grandeza!

Edward
Março/2009


Bom...achei que você gostaria de saber que a Yasmin está, praticamente, adaptada...tirando a "loucura" que é de manhã quando ela tenta porque tenta lamber o focinho da Camila...Acho que gasto 5 minutos a acariciando e contendo, antes de soltá-la. Mesmo assim, ela ainda tenta dar uma lambidinha ou, em verdade, tenta ganhar uma mordidinha... Seja como for, as duas estão bem adiantados no que concerne o "modus vivendi"...o drama é, como disse, os "períodos de ausência" e "separação" (aí compreendido as horas em que cada uma fica isolado no próprio canil enquanto, por exemplo, estamos trabalhando)...

Quando são de novo colocadas em "contato" disputam os donos e, no caso a Yasmin, tenta "agradar" a dona Camila... Quando saímos com elas de manhã (sábado, domingo, feriado ou um caso excepcional (por exemplo, uma manutenção na rede elétrica do Departamento quando, em verdade, fomos aconselhados a ficar em casa), os passeios aumentam progressivamente de extensão e tempo...acho que já passamos dos 3 km... Bem entendido, os "adultos" andam os três quilômetros...Yasmin "corre" os ditos...Contudo, ela já está demonstrando uma certa independência e o "norte" não é mais a Camila...Ela consegue, por si, se distrair com este ou aquele "fenômeno natural" (uma folha caída, um tuvo de grama amassada, este ou aquele cachorro latindo na cerca, etc) e, claro, compensa esses atrasos dobrando o passo para ficar, de novo, perto da Camila. Nos demais dias, saímos por volta das 19 h e damos uma volta curta (1-1,5 km) que, em verdade, compensa a volta longa das manhãs porque, ao contrário dessas últimas, são feitas em terreno/ruas inclinado/as. Devido ao problema com a perna/joelho da Camila, nós subimos pela parte menos íngreme e, óbvio, descemos pelas ruas mais inclinadas. Além disso, após a ceia da Yasmin (2,5 xícaras por volta das 21:30 h), ando com ela pelo terreno (3 a 4 voltas aleatórias e sem trela ---- eu vou andando e ela me seguindo, ultrapassando ou correndo em volta) . Após isso, ela entra em coma e só, + ou -, acorda quando a carrego para o canil, por volta da meia-noite. 'Linhás, me espanco quando penso o tempo que demorei antes de fazê-la dormir no canil...

Estamos, agora, todos felizes, inclusive e principalmente a Yasmin...que, antes, tinha de "acordar", esperar a Camila acordar, esperar a Camila me acordar, etc, etc, antes de sair da casa...Além disso, ela adora a noite, o ar noturno e, pelo que depreendo do silêncio, dorme direto e reto com essa ou aquela "saídinha" para o "quintal do canil" (a parte dos fundos desse)....Porque, afinal, ela não suja a parte cimentada... Falando nisso, plantei uma grama na parte da frente do canil, dela e da Camila, e, interessante...a Yasmin só utiliza este cercado de grama para deitar e "cavar"...no que pude observar, quando dá vontade ela corre para a grama do fundo...está/estaria imitando a Camila (que, obviamente, não suja a frente da "casa" e só, com relutância, suja o fundo do canil)? Parando por aqui por agora, ontem, logo após os passeio, tomou o primeiro banho...passado o susto inicial da água da mangueira, parece que adorou e, advinha, depois seca "entrou em coma" ao sol numa pedra do calçamento
e, após uma miraculosa recuperação, "voltou ao coma" no chão do escritório...

Acredito que ela está feliz...

Abraços, Edward
Fevereiro/2009


No sábado à tarde, por volta das 17:30 h, eu estava flutuando e dormitando na piscina, Ana estava dormindo deitada em uma das cadeiras à beira da piscina, Camila ao lado dela e só Yasmin atenta. Tão atenta estava que foi a única a reparar um insidioso e perigoso animal, imóvel e ameaçador postado em baixo da outra cadeira. Uma ameaça terrível e silenciosa que ela não podia ignorar.
Talvez tenha tido vontade de correr, talvez quisesse se esconder, mas o medo e, paradoxalmente, o senso do dever foi tanto, que ela não podia ignorar e não podia, também, e sabe-se lá por qual motivo, dar um aviso sonoro.
Assim, com coração disparado e reunindo cada grama de coragem do seu pequeno corpo, foi se aproximando, se aproximando, sem que qualquer dos adultos, mesmo os supostamente racionais, prestasse atenção, notasse o espírito de sacrifício e a sua bravura, ambos maiores, em qualquer escala, que o seu próprio peso.
Enquanto isso, muito provavelmente, a ciclópica e cruel criatura apenas a esperava, sem qualquer movimento. Seja como for, por instinto ou lógica, Yasmin ao chegar mais perto foi rodeando aquele "fiend from the hell" com pequenos pulos. Foi esse, talvez, o seu grande erro.

Debaixo da cadeira, a imobilidade do monstro lhe dava uma grande vantagem sobre os pulos corajosos, ainda que desengonçados, da nossa pequena campeã, da nossa grande guardiã...Ao bater com as costas nas cadeiras, após cada pulo, ela foi perdendo a noção de direção e se aproximando mais, cada vez mais, um pouco mais da borda da piscina e, presto, caiu na dita de rabo.

 Contudo, a sua demonstração de coragem não foi em vão. Quando ela caiu eu já estava próximo e estendi minha mão para retirá-la da piscina.

Porém, não pude deixar de notar que, naquele instante, a demoníaca criatura, aquela latinha vazia e amassada de Coca-Cola, estava "sorrindo" e aproveitando a sua vitória a qual, diga-se de passagem, foi conseguida sem qualquer esforço da parte dela. Obviamente, ela saiu toda acabrunhada e molhada da piscina, mas, logo, fêz uma senhora festa na hora de ser enxugada...

No mais estamos, aqui, com um coral desencontrado...

Ana fica na base do "..Tu és divina e graciosa, estátua majestosa..." e do "...Tu és a criatura mais linda que os meus olhos já viram...".

Para quem ela "canta" o quê, eu não sei. Só sei que as três (Ana, Camila e Yasmin) ficam confusas e disputam carinhos ao mesmo tempo...o que, claro, gera os devidos rosnados...

Camila "canta" para a Yasmin o clássico..."...me deixa em paz, que eu não aguento mais, me deixa em paz, sai de mim, me deixa em paz"...

Yasmin "canta" para a Camila o ..."Eu sem você, não tenho porquê...os meus olhos procuram os seus, meus abraços procuram os seus,..., sem você meu amor eu sou ninguém..." Acho que, originalmente existe, neste verso, uma dupla negativa (mas não vou, agora, procurar).

Para todo o mais, Yasmin canta o ..."Tudo é perigoso, tudo é divino maravilhoso"... Entretanto, pessoalmente só consigo solfejar ..."Pruá! Mas que nervoso estou! Pruá! Estou neurastênico! Pruá! Preciso me cuidar, se não eu vou para Jacarepaguá...".

Edward,
Janeiro/2009


fotos em 28/
12


fotos em 15/
12